Pesquisa Flecha Livros

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Chinua Achebe, grande romancista africano

Chinua Achebe


Chinua Achebe

Chinua Achebe


Albert Chinualumogu Achebe, ou Chinua Achebe,  é um dos escritores africanos mais famosos da atualidade. Chinua Achebe nascido em Ogidi, leste da Nigéria, Colônia britânica. Seu pai, Isaías Okafor Achebe, foi criado de acordo com as tradições dos Ibgo mas se converteu ao cristianismo e se tornou um professor da igreja. Sua mãe, Janet Achebe, lhe ensinou os contos populares tradicionais de seu povo quando ele era criança, o que influencio muito sua literatura posterior.

Depois de estudar na University College, em Ibadan, Chinua Achebe recebeu uma mestrado na Universidade de Londres, em 1953. Tornou-se um produtor e, eventualmente, um diretor de TV na Nigéria. Em 1961, ele se casou com Christie Chinwe Okoli, com quem teve quatro filhos. Depois de estabelecer sua reputação como escritor, ele deixou a radiodifusão em 1966.

Quando a guerra civil eclodiu no ano seguinte na Nigéria, exatamente onde ficava sua pátria Igbo, quanto esta tentou separar-se da federação nigeriana como um novo país chamado Biafra, ele viajou para o exterior para promover a causa de Biafra. Cuidado, Soul Brother, seu livro de 1971 descreve suas experiências de guerra, incluindo o relato de quando seu apartamento foi atingido por uma bomba. Em 1976, ele se tornou professor de Inglês na Universidade da Nigéria. Um sério acidente de carro em 1990 deixou Chinua Achebe paralisado da cintura para baixo. Ele agora é professor de literatura na Bard College, em Hudson Valley, em Nova York.

O Sucesso de Chinua Achebe



Em Home and Exile (1988), Chinua Achebe escreve que decidiu tornar-se um escritor depois de ler Joyce. Os críticos elogiaram o livro afirmando que ele é um retrato realista da África. Ele decidiu que "a história que tinha para dizer não poderia ser dito para nós por qualquer outra pessoa, não importa o quão talentoso e bem-intencionado ele fosse." Seus romances contam a história da Nigeria "de dentro", da resistência de Igbo à Colonização britânica até o golpe de estado que levou o general Ironisi, a ser o chefe de Estado em 1966.

Chinua AchebeO primeiro romance de Achebe, Things Fall Apart (1958), conta a  história de Okonwo, um grande homem entre o seu povo mas alguém que não consegue se adaptar às mudanças trazida pela colonização.

Num trecho importante do livro um personagem afirma que:

"ele [o homem branco] passou a faca nas coisas que nos mantinha juntos, e nós caímos separados. "

A recusa de Okonkwo, de se adaptar ao regime neo-colonial o leva a violência e, finalmente, para destruição. Chinua Achebe explicou em uma entrevista de 2000:

 "Com a vinda do império britânico, Igbo como um todo foi incorporada . . . com um monte de outras pessoas com quem o povo Igbo não tinha tido contato direto antes. . . tiveram  que aprender uma realidade totalmente nova, e acomodar-se às exigências desta nova realidade, que é o estado chamado Nigéria."

Things Fall Apart estabeleceu Achebe como "o fundador da literatura Africana moderna " de acordo com Anthony K. Appiah. Chinua Achebe foi o primeiro escritor a apresentar a colonização de um ponto de vista Africano. Ele também introduziu o que ele chama de uma "novo Inglês," usando  provérbios Igbo e Inglês em uma mistura para expressar a tradição oral Africana em Inglês.

Things Fall Apart foi traduzido para mais de 50 idiomas.

Chinua Achebe e a tradições africanas 


No início do segundo romance de Achebe, No Longer At Ease (1960), o neto de Okonkwo Obi esta em julgamento por aceitar subornos. Obi é um dos mais educados da elite nigeriana e participou do plano britânico para tornar o governo quando a Nigéria independente.

"Assim como seu avô, Obi foi mais uma vítima de conflito cultural ", observa Bernth Lindfors. "Obi esta longe dos valores tradicionais, mas  não estava totalmente assimilado nos ideais ocidentais; perdendo qualquer convicção moral firme, ele estava confuso com sua situação e em queda livre.

Em 1979, Achebe recebeu a Ordem do Federal República por suas contribuições à literatura Africana. Na ocasião ele afirmou:

"Eu ficaria muito satisfeito se os meus romances (especialmente os que se passam no passado) que fizesem mais do que ensinar a meus leitores que o seu passado com todas as suas imperfeições - não foi uma longa noite de selvageria da qual fomos libertos pelos primeiros europeus que aqui chegaram agindo em Deus".

Hoje, ele é um dos mais reconhecidos autores Africanos, e é o mais traduzido.

Livros de Chinua Achebe:



Chinua Achebe Livro A Flecha de Deus
Chinua Achebe Livro A Flecha de Deus

Chinua Achebe livro A Paz Dura Pouco
Chinua Achebe livro A Paz Dura Pouco


Entrevista com Chinua Achebe


Confira no link abaixo uma longa entrevista de Chinua Achebe em um audiência para a Biblioteca do Congresso Americano:



b




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...