Pesquisa Flecha Livros

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Eu fui Vermeer, Os melhores livros de 2008, a lista da Revista Veja.


N Eu Fui Vermeer, Frank Wynne, Companhia das Letras, 304 págs.

Outra biografia na lista da Veja!. Qual é o problema desses editores da Veja? lêem biografias? Bom, vamos falar sobre o livro, que é mais interressante do que os editores da Veja. Eu fui Vermeer conta a história do holandês Han van Meegeren que ficou milionário produzindo quadros falsos do pintor Johannes Vermeer. O inusitado da questão é que tamanha era o domínio de Meegeren sobre a técnica e o estilo de Vermeer que suas falsificações foram reveladas devido ao fato de que ele confessou o crime diante de um tribunal. Jamais foram insuspeitos os Vermeers dde Meegeren, tanto que ele foi a julgamento logo após a Segunda Guerra Mundial acusado de colaboração com os Nazistas. O grande falsário atraiu a atenção pela sua imensa fortuna – conseguida exclusivamente, num montante próximo a 50 milhões de dólares, com a venda dos quadros falsos. No entanto suspeiva-se que Meegeren teria obtido a fortuna por cooperar com os saques e roubos nazistas durante a guerra, para fugir da prisão perpétua Meegeren então confessa seu crime. O júri não acredita na confissão de Meegeren e pedi-lhe que prove que era possível uma falsificação com tamanha perfeição. Meegeren, então, pinta diante do júri um quadro de Veemer.

A história insólita, é contada por Frank Wynne em estilo de jornalismo investigativo e Wynne não perde a oportunidade do caso para questionar, inclusive, qual o sentido da arte quando nos deparamos com um falsário tão perfeito. Veja também:

· Num mundo desolado ilusões vendem bem, os livros mais vendidos em Agosto de 2009.

· O Santo Sujo – n° 2: os melhores livros de 2008, a lista da revista Veja.



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...